COSTA CONCORDIA: A mão de (a)Deus?

Em nota vazada para a imprensa italiana, Francesco Schettino alega que teve ajuda do Alto durante a tragédia, ocorrida em janeiro, que custou a vida de 32 pessoas.

No texto, destinado aos advogados dele, o ex-comandante do Costa Concordia defende seus atos e alega que uma “mão divina” sugeriu a ele uma manobra instintiva que trouxe o navio para mais perto de terra, evitando assim um naufrágio em águas mais profundas, o que, segundo Schettino, teria sido “um massacre”.

Ele afirma que a ordem de carregar o leme todo a boreste (direita) teve por finalidade aproximar o navio da ilha e foi inspirada no “meu instinto, minha experiência, minha capacidade de entender o mar”. Naquele momento, escreve Schettino, “foi como se uma mão divina estava a repousar sobre a minha cabeça”.

O ex-comandante afirma, por fim, que o atraso em dar a ordem de abandonar o navio se explica porque, segundo ele, “o próprio navio é a melhor balsa salvavidas”.

Com informações do site Tradewinds.

Anúncios