SALVATAGEM: MSC Flaminia é inspecionado antes de seguir para a Alemanha

O navio porta-contêineres MSC Flaminia, seriamente avariado por incêndio e explosão ocorridos em julho em meio ao Oceano Atlântico Norte, está sendo inspecionado por uma equipe de especialistas a 30 milhas de Lands End, no extremo sudoeste da ilha da Grã-Bretanha.

A inspeção é determinar se o navio pode ser conduzido em segurança pelos dois rebocadores que o resgataram para o porto de águas profundas de Wilhelmshaven, na Alemanha.

Segundo a publicação especializada Tradewinds, a sociedade classificadora Germanischer Lloyd considera que o MSC Flaminia tem estabilidade suficiente para prosseguir com a viagem, apesar dos 19 metros de calado, enquanto representantes do governo do Reino Unido querem mais medidas de controle de risco para autorizar a navegação pelo Canal da Mancha.

Dois mortos, avaria grossa, possível perda total

O porta-contentores de bandeira alemã sofreu um incêndio com explosão em 14 de julho, durante viagem entre Charleston (EUA) e Antuérpia (Bélgica), com 2.876 contêineres a bordo. Dois tripulantes morreram e um permanece no hospital a se recuperar de queimaduras graves.

O incêndio foi controlado pela empresa de salvatagem Smit, mas o estrago feito pelas ações de combate ao fogo para salvar o navio e a carga levou os proprietários do navio a declarar avaria grossa, o que significa que todos deverão arcar com os perdas decorrentes e com o prêmio a ser pago à Smit pelos salvamentos eventualmente bem-sucedidos.

A chegada do navio a Wilhelmshavem permitirá descobrir se o navio, segurado em cerca de US$ 40 milhões, constitui-se em uma perda total construtiva ou se o reparo em algum estaleiro do Extremo Oriente é economicamente viável.

Anúncios